O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






21/07/2015
RH » Recrutamento e Seleção » Entrevista Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Como utilizar as dinâmicas nos processos de seleção?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Você conhece alguém que já participou de alguma dinâmica de grupo e que depois da sua aplicação sentiu-se como uma criança de cinco anos? Infelizmente, isso ainda acontece durante a captação de talentos e por motivos "simples": primeiro - a pessoa que conduz a dinâmica de grupo não está preparada assumir essa função e segundo - a dinâmica selecionada não se enquadrava nem as características da vaga oferecida e tampouco à realidade dos candidatos. E quando isso acontece, o processo seletivo por ser comprometido.
De acordo com Angelina Vinci - especialista em Recursos Humanos e gerente da Luandre Consultoria, unidades de Campinas e Jundiaí, em São Paulo, não há uma regra que determine quem deva aplicar a dinâmica de grupo. Porém, os profissionais de RH são os que mais utilizam e conduzem esta ferramenta tão importante para a decisão de uma contratação. "E por ser tão importante e decisiva, destaco que os profissionais devam ter conhecimento e capacidade para conduzirem as dinâmicas. Lamentavelmente, observamos alguns profissionais conduzindo dinâmicas sem sequer já terem participado de uma delas. São pessoas que não possuem a experiências em algumas técnicas importantes para que o resultado tenha êxito", alerta.
Durante entrevista concedida ao RH.com.br, Angelina Vinci destaca quais os fatores que comumente comprometem as dinâmicas de grupo e que cuidados os selecionadores devem ter no momento de aplicarem estas ferramentas que, quando bem utilizadas, podem revelar informações importantes como o lado comportamental das pessoas, diante de determinados situações vivenciadas nos ambientes organizacionais. Tenha uma agradável leitura!


RH.com.br - Qual o objetivo das dinâmicas de grupo nos processos de seleção?
Angelina Vinci - A dinâmica de grupo nada mais é do que uma das etapas que constitui um processo de seleção. Ela permite que o candidato seja exposto a situações, das mais diversas, buscando sua atuação mais informal é natural possível, evitando as formalidades de uma entrevista pessoal. Como as dinâmicas acontecem com vários candidatos à mesma vaga, é possível identificar aquele que mais se destaca ao perfil exigido, pois as atividades estão voltadas para que as características dos participantes sejam exploradas.

RH - Existe uma regra que determina quem deve ou não aplicar a dinâmica de grupo?
Angelina Vinci - Não há uma regra estabelecida para aplicação da dinâmica de grupo. Porém, os profissionais de Recursos Humanos são os que mais utilizam e conduzem esta ferramenta tão importante para a decisão de uma contratação. E por ser tão importante e decisiva, destaco que os profissionais devam ter conhecimento e capacidade para conduzirem. Observamos alguns profissionais conduzindo dinâmicas e sequer já haviam participado de uma delas, não possuem a experiências em algumas técnicas importantes para que o resultado tenha êxito. Sugiro que busquem aperfeiçoamento através de cursos, livros voltados para a matéria em questão.

RH - Em que etapa do momento seletivo as dinâmicas de grupo costumam ser aplicadas?
Angelina Vinci - Não existe um momento definido para aplicação da dinâmica de grupo no processo de seleção. O objetivo do selecionador é que moverá toda a condução do processo seletivo. Em alguns processos ela pode estar até na última etapa. Neste caso, geralmente, quando o número de candidatos considerados "aptos" é mais de um e a dinâmica permitirá maior condição para sanar a dúvida e chegar à decisão final. Mas, na maioria dos casos, as dinâmicas são aplicadas na fase intermediária do processo, o que possibilita dar continuidade apenas aqueles candidatos que se destacaram nas atividades desta dinâmica. O fato é: uma dinâmica bem conduzida pode ser aplicada em qualquer etapa do processo.

RH - Existe um número máximo de participantes, para que a aplicação de uma dinâmica de grupo seja bem conduzida?
Angelina Vinci - Não há números pré-estabelecidos. Sabemos que a dinâmica de grupo é um bom momento para o selecionador identificar as competências de cada um dos participantes e, com este objetivo, sugerimos que a dinâmica tenha no mínimo três e no máximo dez candidatos. Entendemos que este número permite que o selecionador consiga bom equilíbrio na sua atuação, unindo entendimento nos objetivos do trabalho e foco na percepção das características e competências dos candidatos.

RH - Que tipo de informações o selecionado pode obter do candidato a partir da dinâmica de grupo?
Angelina Vinci - A dinâmica de grupo permite que o selecionador compare o comportamento de pessoas, com perfis semelhantes, submetidos a situações iguais e consiga identificar o melhor desempenho de cada uma delas. Várias são as competências que podem ser identificadas, são elas: conhecimento e experiência em uma área específica ou assunto, à iniciativa, à criatividade, ou habilidades de relacionamento com superiores e com grupos de pessoas no ambiente organizacional, entre outras.

RH - É relevante que o líder da área requisitante esteja presente durante as dinâmicas de grupo, aplicadas nas seleções?
Angelina Vinci - Entendemos que a participação do requisitante da área é importante, pois facilita o alinhamento das decisões - seleção e requisitante, mas não é exigível. Muitas empresas unem a participação dessas duas áreas, pois também permite maior agilidade no processo. Portanto, cada caso tem uma condução diferente. O mais importante eu destaco, neste caso, é que o requisitante, caso não tenha o papel de executor na dinâmica, deve apenas colocar-se na condição de observador, cabendo ao selecionador comandar as atividades do início ao fim.

RH - Quais os principais cuidados que devem ser tomados, durante a realização de uma dinâmica de grupo?
Angelina Vinci - O selecionador deve manter o controle da dinâmica em todos os momentos, transpor confiança a todos os participantes, permitindo que atuem nas atividades sem qualquer tipo de constrangimento, deixando-os à vontade para exporem suas competências. O mais importante é que o selecionador conheça claramente os objetivos a serem alcançados com a aplicação da dinâmica e possuir total habilidade para condução de todas as atividades programadas.

RH - Muitas vezes, encontramos pessoas desconfortáveis depois de participarem de dinâmicas, por acreditarem que o processo tornou-se imaturo e sem benefício algum. Qual a sua opinião sobre esses fatos dessa natureza?
Angelina Vinci - A escolha da dinâmica é fundamental para que os participantes se sintam confortáveis, seguros e tranquilos. Já observei dinâmicas que contavam com excelentes candidatos, bem interessados na vaga a qual concorriam e, ao final da dinâmica, tiveram uma péssima impressão do RH da empresa, foram pessimamente conduzidos e expostos a atividades inexpressivas e que não permitiram revelar as qualidades dos participantes. Isso é um erro fatal. Portanto, ressalto novamente, o selecionador precisa dominar o tema, a condução, não pode achar que a dinâmica de grupo é só uma "brincadeira conduzida e divertida" para ajudar nos processos de seleção.

RH - Que fatores contribuem para o êxito de uma dinâmica de grupo?
Angelina Vinci - Apesar das dinâmicas serem, na maioria das vezes, uma atividade lúdica, ela deve ter propostas transparentes e objetivas para que seus participantes tenham total entendimento daquilo que devem fazer e as metas a serem alcançadas, ao contrário, terão candidatos tímidos, sem atitude e, por fim, uma atividade que não deverá dar condições de identificar as reais competências dos seus participantes.

RH - Que orientações a senhora daria para os selecionadores que vão utilizar as dinâmicas de grupo, para que a seleção tenha um êxito mais destacado?
Angelina Vinci - A postura do selecionador pode abrilhantar ou prejudicar o resultado da dinâmica de grupo. Já abordamos vários aspectos, mas deixamos aqui algumas dicas para todos os profissionais de Recursos Humanos que atuam com esta ferramenta, são elas: não utilize sempre a mesma atividade para todas as vagas e se lembre de que a empresa é a mesma, mas as vagas podem ser diferentes; deixe seus candidatos à vontade, assim eles se expressarão com mais facilidade - a pressão, neste momento, de nada adianta, só atrapalha; não esconda as informações mais importantes sobre a vaga é a empresa, isso é fundamental para a transparência do processo de seleção; não demonstre preferência durante as atividades, cuidado com candidatos que você já conheça - amigos, indicações - ou aqueles que tenha maior afinidade. Naquele momento eles devem estar em igualdade de condições. Outras recomendações: se em meio à dinâmica você já identificar um candidato reprovado não se adiante em identificá-lo - conclua toda a atividade e não demonstre duas decisões antes ao término; por fim, esteja certo de estar munido de todas as informações necessárias para conduzir a dinâmica e boa sorte.

 

Palavras-chave: | Angelina Vinci | dinâmica de grupo | seleção |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
marta em 24/07/2015:
Está sendo de muita ajuda para mim esses tópicos, me mantem atualizada com as novas tendências no comportamento de um novo colaborador e no meu também, obrigada e parabéns!

PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.