O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Participe do 8º Congresso de RH pela Internet.
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






03/07/2012
RH » Qualidade de Vida » Matéria Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Empresa investe no equilíbrio físico, mental e financeiro dos talentos

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Transformar radicalmente o ambiente de trabalho, para que os profissionais não chegassem à empresa e a visse apenas como um local de referência a estresse ou problemas para serem resolvidos. Essa foi a decisão que a Apdata do Brasil adotou em 2002, quando começou a trabalhar fortemente em diversos projetos voltados para o bem-estar de seus colaboradores.

"Inicialmente, a empresa tinha o desejo de mudar radicalmente o ambiente corporativo tradicional de trabalho, que normalmente era mais frio, para um lugar mais aconchegante. Isto tinha uma única razão - deixar os colaboradores mais soltos, tranquilos e, consequentemente, menos estressados. Foi um sucesso e logo em seguida, outros espaços foram criados, como sala de massagem, pomar, sala de cromoterapia, sala de estudo e cestas após o almoço", relembra Luiza Nizoli, presidente da Apdata do Brasil.

Com essas ações, à medida que os colaboradores estavam mais relaxados mentalmente, mais produziam, pois se sentiam felizes no ambiente de trabalho. Então, para melhorar ainda mais, a empresa disponibilizou um trabalho com uma psicóloga e terapeuta para atendê-los quando fosse preciso. Em continuidade ao projeto de bem-estar, a empresa incluiu mais dois quesitos: o de reeducação da saúde financeira e os de trabalhos corporais junto à equipe.

O começo - Através do seu corpo diretivo a empresa deu o primeiro passo, a fim de estimular as pessoas a melhorarem a vida profissional e pessoal, para estarem efetivamente preparadas emocionalmente para atender as infindáveis exigências do mundo corporativo, até mesmo por uma questão até de sobrevivência. O programa criado para a reeducação da saúde financeira dos colaboradores, por exemplo, foi em consequência de um estudo realizado internamente, onde se concluiu que o endividamento trazia comprometimento ao desenvolvimento profissional, inclusive com agravamentos na saúde física e emocional.

Já no que se refere à saúde física, a Apdata fez uma análise de afastamentos e identificou que as pessoas voltavam, mas ainda permaneciam doentes e retornaram pior de alma. "A ideia da campanha foi justamente fortalecer o lado emocional, trabalhar na prevenção, no processo de reeducação para se tornarem pessoas sadias", diz Luiza Nizoli, ao destacar que o público-alvo dessas iniciativas são todos os colaboradores da empresa nos pilares e extensivo aos familiares na questão de trabalho físico. Brevemente, a organização pretende expandir esse tipo de trabalho, uma vez que considera que uma família mais estruturada, desempenha infinitamente melhor as suas funções. O projeto está sendo encabeçado pela equipe de Recursos Humanos com o apoio da diretora executiva.

Apresentação aos colaboradores - Para apresentar a nova proposta para seus funcionários, a Apdata promoveu um workshop dividido em turmas e devido à importância do projeto. "Como presidente, eu abri o evento, expondo as razões, os benefícios, bem como os resultados que pretendemos obter com a campanha - Apdata Mais Saudável", cita Luiza Nizoli.

Saúde mental - No dia a dia do ambiente corporativo, as cobranças são constantes e as pessoas são pressionadas como se estivessem em uma "panela de pressão". São exigências de entregas de projetos no prazo, metas a serem atingidas, eficiência, qualidade e inúmeros compromissos assumidos. Como, obviamente, tudo isso gera um estresse grande, muitas vezes, os profissionais deixam de obter resultados porque atingiram um esgotamento mental.

Diante dessa realidade, a mente também precisa ser trabalhada. E é justamente por esse motivo que a companhia adotou práticas para que o profissional tenha uma válvula de escape nos momentos de maior tensão. "Disponibilizamos um profissional, psicóloga que atende com agendas marcadas e faz acompanhamento nos casos mais críticos. Se necessário, utiliza terapia alternativa com florais. Além disso, as pessoas podem relaxar a qualquer hora do dia, em redes ou futtons confortáveis, para que se restabeleçam. Há também aqueles momentos em que precisamos de maior reflexão e, por isso, temos uma capela ecumênica aberta para qualquer um adentrar quando precisar de paz interior e refletir", esclarece a presidente da Apdata no Brasil.

Saúde física - A preocupação da empresa com a saúde física dos funcionários ganhou mais força em 2011, quando foi realizado um trabalho interno de avaliação de todos os colaboradores que incluiu desde análise da pressão arterial, taxas de colesterol, sedentarismo, diabetes, entre outros fatores de risco para a saúde das pessoas. Com o resultado em mãos, a diretoria não hesitou em buscar no mercado, profissionais especialistas para criar um programa eficaz na melhoria significativa do quadro apresentado. Foi decidido, então, em princípio trabalhar com foco nos funcionários que sentiam dores em locais específicos do corpo como, por exemplo: coluna, joelho, ombro, mãos, entre outros. A descoberta de pessoas acometidas por esses problemas foi considerada alarmante.

"Quantas pessoas se arrastam diariamente para cumprir seus objetivos, mas a custos elevadíssimos? Sem contar que isto obviamente afeta lado emocional, assim como o relacionamento profissional, familiar e social. O agendamento foi realizado e todos serão avaliados minuciosamente, por meio da técnica shian, onde será trabalhada toda a musculatura. A intenção é trabalhar a causa para eliminar o problema", comenta Nizoli, ao enfatizar que os profissionais que prestarão atendimento aos funcionários estarão na Apdata três vezes na semana e darão, na sequência, atendimentos normais e eventuais, naqueles casos em que se torne emergencial. Esse benefício será assumido 100% pela Apdata. Um dos pontos interessantes é que será extensivo aos familiares e esses arcarão somente com 50% do tratamento.

Saúde financeira - Não é segredo que se alguém estiver desestruturado financeiramente deixará de ter uma produtividade positiva. A organização comprovou isso e criou um programa e convocou a participação de todos os seus colaboradores, independentemente de se ter um problema financeiro real ou não. Para isso, são ministrados cursos de reeducação financeira e conscientização de ganho versos gastos versos investimentos. Esse programa visa melhorar a qualidade financeira dos colaboradores e projetá-los com perspectivas muito mais amplas de futuro.

Benefícios - Ao ser questionada sobre os benefícios que as campanhas em prol financeira, mental e física trouxe para a Apdata e, consequentemente, para os profissionais, Nizoli destaca que ocorreram duas diferenças primordiais. A primeira foi a constatação de um ambiente mais feliz e as pessoas passaram a ser mais solícitas e o resultado teve reflexo em todos os níveis, inclusive nos clientes. A segunda foi resgate de profissionais com potencial, até então adormecidos. Muitos, segundo ela, estavam travados interiormente. Com esse investimento, ocorreu um aumento da retenção de talentos em 60% e a redução do turnover ficou em cerca de 1%.
Além disso, outros benefícios foram observados junto aos profissionais como, por exemplo: aumento do comprometimento; da dedicação e do orgulho por atuarem na empresa.

Avaliação de resultados - Para mensurar os resultados de todas essas ações, Luiza Nizoli enfatiza que a empresa faz uma avaliação sob duas óticas. A primeira está relacionada à baixa rotatividade, bem como ao comprometimento com a qualidade e a entrega nos serviços. A segunda é o nível de satisfação dos clientes da companhia. "Através de pesquisas e trabalho de campo, fazemos essa mensuração e após apuração dos resultados, atuamos estrategicamente nos pontos focais para a devida solução", complementa.

Nizoli assinala que acreditar em ações como as adotadas pela Apdata geram benefícios extremamente positivos, uma vez que as pessoas trabalham mais motivadas, estabilizadas psicologicamente, com níveis baixos de estresse. "Mesmo que exista toda uma pressão habitual na área de serviços, o ambiente e as pessoas ficam mais harmônicos, equilibrados, a retenção de talentos torna-se maior. Os profissionais sentem que não representam simplesmente números, mas são fundamentais para o sucesso e o crescimento da empresa. Esse movimento eleva a vontade e o interesse de continuar unido ao firme propósito de seguir em defesa dos princípios, dos valores e da missão da organização em equipe", conclui.

 

Palavras-chave: | Apdata | Luiza Nizoli | qualidade de vida no trabalho | finança pessoal |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Rosa - CTC CENTRO DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA em 10/07/2012:
Como seria bom que as empresas, independente do segmento, pudessem realizar trabalhos como este. Hoje devido a grande concorrência e correria do dia a dia, as empresas enfrentam grandes problemas com turnover e absenteismo por não conseguirem avaliar os colaboradores no geral.

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Seminários RH.com.br

8º ConviRH



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.