O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Inscrição com 10% de desconto para a Jornada de Liderança
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






03/04/2012
RH » Qualidade de Vida » Dicas Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

10 sinais de um profissional estressado

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br

Cada vez mais as pessoas se veem impelidas a conviverem com a correria do dia a dia. Isso se evidencia não apenas no campo pessoal, como também no corporativo. Dentro das organizações, os profissionais convivem com um ritmo acelerado e um ambiente altamente competitivo e que leva a uma constante busca pela qualificação nos mais variados segmentos. O resultado: pessoas com sinais de estresse que, nem sempre, são perceptíveis e quando identificados estão em níveis elevados que podem comprometer a carreira do mais delicado e talentoso colaborador. Confira abaixo, alguns sinais claros do estresse que podem estar presentes em você, no seu colega de trabalho ou na sua equipe.

1 - Desânimo visível - Geralmente, o estresse quando se encontra em nível avançado leva as pessoas a um estado de desânimo constante. Lógico que há dias em que o indivíduo está mais cansado, devido a algum fator. No entanto, a constante falta de ânimo na vida de alguém sinaliza que algo não vai bem.

2 - Detesto o despertador - Há pessoas que quando acordam durante a semana e escutam o despertador sentem vontade de quebrá-lo, porque ele avisa que chegou a hora de levantar e ir para o trabalho. O fato de acordar cedo deixa muitas pessoas com preguiça. Mas quando se acorda com o sentimento de quem vai para local desagradável e que só vai proporcionar-lhe momentos de angústia, isso não é uma rotina saudável.

3 - A saúde pede socorro - O estresse tem levado muitas pessoas a sentirem reflexos diretos na própria saúde. Quando um profissional começa a apresentar sintomas constantes como enxaquecas, problemas no estômago, insônia, falta de apetite, entre outros, é hora de fazer de procurar um médico e fazer um check-up.

4 - Líder X Liderados - Quando é o líder que apresenta sinais claros de estresse, certamente sua equipe irá acompanhá-lo. Isso porque mesmo que tente não afetar sua performance, a liderança culminará transferindo para os demais profissionais os reflexos que o estresse lhe causa.

5 - Desempenho - Mesmo que o profissional tente dar o melhor de si, ultrapasse o horário do expediente para cumprir com suas responsabilidades, sua performance sofrerá uma queda, caso ele se encontre em um estado de estresse já avançado. O fato de não "dar conta do serviço" só o deixará angustiado e com o sentimento de que não é competente suficiente para atender às expectativas da organização.

6 - Não saio do lugar - Outro indicador que demonstra sinais de estresse no funcionário é quando ele demonstra comprometimento, realiza suas atividades com muito esforço e mesmo assim tem a sensação de que trabalhou, trabalhou, mas não "saiu do lugar". Tudo parece fugir ao seu controle e o que deveria ser prioridade, ele acaba deixando em segundo plano porque não consegue mais dar um norte às suas atividades.

7 - Autoestima - Geralmente, uma pessoa estressada sente sua autoestima "em baixa", afinal ela se encontra em estado de desequilíbrio no campo pessoal e profissional. Por essa razão, muitos necessitam buscar a ajuda dos profissionais da área de saúde, para que receba as orientações necessárias.

8 - Paciência zero - Existe um velho ditado popular que diz "De gota em gota, o copo transborda". Fazendo uma analogia com o profissional estressado, observa-se uma visível mudança de comportamento como, por exemplo, presença do mau humor que pode "explodir" a qualquer momento. Mesmo aquelas pessoas consideradas calmas, quando estressadas, podem apresentar momentos de tensão mesmo de situações consideradas irrelevantes.

9 - Conflitos com os colegas - Quando o estresse atinge o humor de um profissional, aumentam-se as chances de aumentarem os conflitos entre os membros de uma equipe. Logicamente, isso prejudica o clima e os demais profissionais embarcam, inconscientemente, no "leme" do fator estressante.

10 - Além da empresa - O estresse não fica restrito apenas ao ambiente organizacional. Quando o colaborador deixa o ambiente de trabalho e vai para sua casa, ele carrega consigo toda a bagagem do dia e terminar por "descarregar" sua tensão nos membros da sua família. Para piorar a situação, surgem os conflitos entre os cônjuges, os filhos, os pais e qualquer outra pessoa que esteja por perto. Tudo se transforma numa verdadeira bola de neve.

 

Palavras-chave: | qualidade de vida no trabalho | estresse |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (13)
Nair Aparecida Moreira em 14/12/2012:
Quero alertar as pessoas, que muitas vezes entram numa rotina e até consideram "normal" ter problemas no trabalho, levá-los para casa, descarregar nos filhos, marido ou esposa, etc... Gente, a vida não nos foi dada para isto... acho que, se você está esperando um trabalho melhor, tudo bem, mas se o teu trabalho já está afetando a tua família, os teus amigos ou namorada(o), realmente é hora de parar. É tão bom a gente ser feliz, e não é depois de um infarto ou coisa pior, que você deve mudar esta situação. Seja feliz todos os dias, em todos os momentos, mas, se não for possível, ao menos procure uma saída para tua vida... não continue assim... felicidades, hoje e sempre!

Pedro Paulo Galindo Morales em 27/09/2012:
Muito bom o seu artigo, realmente estamos vivendo a era do desânimo. As empresas cada vez mais estão exigindo que os colaboradores se desdobrem nas suas tarefas e isso faz com que o estresse tome conta de tudo. Às vezes penso que estamos indo depressa demais.

claudia moraes em 27/09/2012:
Tenho um chefe (não um líder) extremamente estressado e que vê problema em tudo, e isto está refletindo negativamente em minha vida, tenho filhos pequenos que sentem meu desinteresse por tudo, e ultimamente tenho estado sem apetite e com muita enxaqueca. Acho que tá na hora da virada! Obrigada Patrícia o texto alertou para o risco que corro.

Rosângela em 07/08/2012:
olá a todos ! Esses sinais está parecendo comigo kkk. TRabalho com pessoas com doenças mentais, e esse texto fala tudo de mim.

Izabel em 16/06/2012:
Olá! Apreciei a leitura deste artigo, achei de grande valia para os profissionais atuais.

Fernanda em 02/06/2012:
Olá! Gostei muito do texto, pois aborda muito bem o estresse que o profissional está passando hoje em dia. Passei por situação semelhante em meu último emprego, tomei medicamentos e fui diagnosticada com depressão. Hoje estou melhor, apesar de continuar desempregada, mas tudo o que passei me fez refletir sobre a minha carreira e meus objetivos para futuro. Aos que se encontram em tal situação como relatado no texto, tomem cuidado, revejam seus planos e procurem atividades mais prazerosas. Valorizem-se e deixem as incomodações do trabalho onde devem ficar, e se caso não estiverem felizes, não saiam sem antes ter uma boa proposta de trabalho. Espero ter ajudado alguém!!! Um abraço, Fê.

em 25/05/2012:
Paty, gostaria que me falasses das abordagens de gestão de conflitos. Estou precisando. Bj

Luana Farias da Silva em 05/04/2012:
Gostei muito dessa matéria, pois estou passando por isso no meu emprego. Tenho todos os sintomas citados e não há ânimo mais em mim para trabalhar. Pena que algumas pessoas consideram esses sintomas como "frescura", e descobri, sentindo na pele, que não é. Parabéns pelo assunto.

Rita Conte em 05/04/2012:
Essa matéria está muito boa. Realmente essas situações existem e eu me vi nela no último emprego, onde vim a pedir desligamento da empresa. Precisamos trabalhar com amor e dedicação e isto já não estava acontecendo comigo, pois estava trabalhando por obrigação. Abraço a todos. Rita Conte.

Marinês Melo em 05/04/2012:
Estou me reconhecendo em cada tópico, apesar de gostar de onde trabalho e do que faço, estou completamente estressada e sem motivação, tudo que faço não rende, não consigo me desligar mesmo estando em casa, preciso rever meus conceitos e pensar um pouco mais em mim. Adorei a matéria!

Marcelo Parnoff em 05/04/2012:
Bom dia! Com toda a certeza, são muitos os profissionais que passam por esta situação, e por seu estado de espírito abalado acabam com contagiar toda a equipe. Admitir que precisa mudar de atitude e procurar ajuda é o caminho mais certo, tanto para o profissional, quanto para a equipe. Talvez o mais difícil para alguns seja ver que o problema não está no trabalho ou na equipe que lidera, mas em si mesmo. Muito bom artigo. Parabéns. Marcelo

Jaqueline Nantal em 05/04/2012:
Bom dia! Achei muito pertinente esta reportagem. Ótimas dicas, obrigada... Isso prova que nosso emocional manda em todos os sentidos e é preciso muito equilibrio para enfrentar a demanda do dia-a-dia no trabalho para que tenhamos hamornia também em casa. Não é justo descontar o estresse nas pessoas quem mais amamos. Mais uma vez obrigada, Jaqueline

vania silva de castro em 04/04/2012:
Eu estou passando pela maioria desses sintomas, estou me formando nem gestão RH trabalho no comércio, e estou vindo arrastada pra trabalhar. Dá até vontade de chorar quando penso que tenho que vir trabalhar, estou pensando seriamente em pedir demissão e começar a procurar na minha área .

 
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

3ª Jornada Virtual de Recursos Humanos

Programa de Autodesenvolvimento



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.