O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






21/07/2015
RH » Grupos » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

O trabalho em equipe e os seus desafios

Por Paulo Cesar Martin Guimarães para o RH.com.br

"Equipe é um grupo de pessoas com aptidões complementares, comprometidas com o objetivo comum, que realizam trabalho interdependente e são coletivamente responsáveis pelos resultados" (Katzenbach e Smith, 2001).

Em minha atuação profissional como consultor em RH e como coach, lidando frequentemente com situações que envolvam a busca do trabalho em equipe, muitas vezes deparo-me com dúvidas muito pertinentes sobre o assunto. Este artigo tem a finalidade de trazer algumas percepções e opiniões fundamentadas em experiências vividas, há mais 25 anos conduzindo projetos no campo da gestão e desenvolvimento de pessoas nas organizações.

É possível trabalhar em equipe onde existem diferenças entre seus membros (sociais, culturais etc.) e conflitos de interesse?

Gostaria de salientar que num mundo globalizado e com grande e rápida disponibilidade de informações e estímulos, é natural que haja muitas maneiras de pensar e perceber o mundo, assim como múltiplos interesses. Diante disso, as organizações passam a contar com equipes compostas por indivíduos com visões e características pessoais distintas entre si. Assim, torna-se fundamental o investimento em rituais de gestão e liderança de pessoas, que estimulem o compartilhamento de ideias e um pacto de convivência entre as pessoas, em torno de um objetivo comum.

O trabalho em equipe não é algo fácil, mas a sua conquista no ambiente de trabalho torna-se algo muito prazeroso e produtivo para todos os envolvidos. Então, a grande sacada para o Trabalho em Equipe é que cada pessoa se disponha a se conhecer e se compreender melhor, assim como às outras pessoas, de forma que se torne facilitadora nas relações interpessoais, nas comunicações e no trabalho em equipe.

Em vez de entrar em rota de colisão e conflitos, as pessoas e as organizações precisam aprender a tirar proveito dessas diferenças, dons e talentos individuais.

O trabalho em equipe exige algum perfil específico de liderança? Que habilidades o gestor deve desenvolver para atuar em equipe?

O ideal é que a liderança seja participativa, que estimule o envolvimento e a colaboração de cada membro da equipe nas decisões e ações da área. Os membros da equipe, quando são convidados a participar e contribuir com opiniões e sugestões, tornam-se mais comprometidos e corresponsáveis pelas metas e os resultados da área ou empresa, tanto em relação aos louros, quanto a eventuais insucessos.

O melhor estilo de liderança, contudo, deve considerar sempre a situação (urgência, complexidade e impacto que poderá causar na organização) e o nível de maturidade emocional e capacidade técnica da equipe. Sempre que possível, a liderança deve ser participativa. Mas dependendo da situação, o líder muitas vezes não pode esperar o consenso e precisa assumir a decisão. Nestes casos, é importante que, tão logo seja possível, ele compartilhe esta decisão, de forma transparente com a equipe.

Quanto as principais habilidades de liderança que o gestor precisa estar atento e desenvolver, podemos citar:

- Foco: visão de conjunto e senso de direção.
- Autoconhecimento e capacidade de perceber as situações.
- Maturidade e equilíbrio para lidar com situações conflitantes e saber separar as dimensões profissional e pessoal.
- Disponibilidade diante das situações e pessoas e disposição para cooperar.
- Capacidade de ouvir e de se comunicar com clareza. Prática do Diálogo.
- Empatia e relacionamento interpessoal. Lidar positivamente com a diversidade de estilos e de comportamentos.
- Dar e receber feedback. Reconhecer as conquistas da equipe e os progressos individuais. Comemorar com a equipe.
- Senso ético, posicionamento firme diante das situações e respeitoso com as pessoas.
- Definição clara dos papéis, delegação de atribuições e responsabilidades.
- Habilidade de negociação: influenciar, ouvir, rever posições, gerar alternativas e respeitar as diferenças.
- Trabalho em rede: fazer conexões e estimular a parceria interna.
- Confiança na equipe e busca de representá-la na organização.

Basta a empresa declarar que seus setores trabalham em equipe, para que isso aconteça? Recomendam-se alguns rituais? Como disseminar essa cultura?

Não adianta somente missões bonitas nas paredes das organizações e frases de efeito, pois somente intenções não bastam.

O trabalho em equipe é uma prática em que todos, do topo à base, voluntariamente, devem se comprometer em criar um ambiente de trabalho saudável e em alcançar os resultados desejados. Como pode se exigir coesão, cooperação e trabalho em equipe, se o exemplo não vem de quem lidera e que deveria ser a referência para todos?

A disseminação da cultura do trabalho em equipe, portanto, acontece é na prática do dia a dia, quando o que se fala é praticado e percebido como um modelo, de forma constante e coerente.

Ao realizar programas de desenvolvimento de equipes em várias organizações, deparo-me com um sentimento de que, no plano conceitual, realizar o trabalho em equipe é algo simples e que só depende do bom senso das pessoas. Nota-se, porém, pelas queixas relatadas, que o verdadeiro trabalho em time é pouco usual e desenvolver este espírito não costuma ser tão fácil assim.

O trabalho em equipe envolve objetivos comuns, crenças compartilhadas, confiança nas relações e uma liderança participativa. Estes são pressupostos básicos para uma relação madura, onde o comprometimento com os propósitos maiores da instituição, envolvimento e participação de todos, estimula a contribuição das pessoas.

A comunicação, portanto, é o "combustível" para fazer o processo acontecer de fato. O trabalho em equipe exige foco da gestão nas relações interpessoais e não só na tarefa. Muitas das vezes, o que prevalece nas solicitações de trabalho aos servidores é o quê e o como fazer, atitude limitante, que não estimula a motivação e o engajamento das pessoas. Por outro lado, o alinhamento e a integração interna aumentam muito quando as pessoas sabem o porquê e o para quê (a razão de ser do seu trabalho / sua obra para a organização). Abaixo uma citação importante sobre o assunto:

"O indivíduo sem informação não pode assumir responsabilidade. O indivíduo que recebe informação não pode deixar de assumir responsabilidades". (Pereira e Fonseca, 1997, p.226 em Orientação Profissional em Ação por Marilu Diez Lisboa).

Além disso, nas organizações, os trabalhos, as metas e seus resultados são cada vez mais interdependentes. Uma equipe não se resume a apenas uma área funcional, necessitando a constante interação com vários atores, inter e intra equipes.

 

Palavras-chave: | equipe | produtividade | relacionamento interpessoal |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (0)
Ainda não há comentários.

Seja o primeiro, clique no ícone disponível logo acima e faça seus comentários.
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.