O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






01/08/2016
RH » Desempenho » Notícia Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Olimpíadas: gestores estão atentos às “desculpinhas”, durante o evento

As Olimpíadas vão começar e os olhares do mundo inteiro se voltarão mais uma vez para o Brasil. Para acompanhar as competições, vale tudo. Será? Uma pesquisa da Robert Half mostra que 84% dos 100 diretores de Recursos Humanos brasileiros entrevistados acreditam que os funcionários faltarão ao trabalho depois de uma competição importante, alegando "doença" ou outra desculpa. Mas os mais aficionados com esportes estão na Austrália e Nova Zelândia. Nesses países, 87% dos gestores de RH estimam que os funcionários se ausentarão do trabalho depois de um evento esportivo. O estudo considerou a opinião de 1675 diretores de RH de 12 países.

Ranking dos países em que os funcionários mais tendem a faltar ao trabalho depois de um evento esportivo, na opinião de diretores de RH:

Colocação -           Países                          - % de Gestores que acreditam

             - Austrália e Nova Zelândia         - 87%

2º                      - Brasil                           - 84%

3º                      - Chile                            - 80%

4º                      - Áustria                         - 78%

5%                     - Alemanha                      - 76%


"É natural que as pessoas fiquem mais eufóricas e animadas em períodos de competições esportivas. O ideal é que as empresas tracem estratégias para canalizar essa energia a seu favor e gerar mais engajamento", afirma Lucas Nogueira, gerente sênior da Robert Half. O levantamento da Robert Half mostra ainda que 58% dos gestores entrevistados acreditam que, quando estimulados a acompanhar os jogos em grupo, nas dependências da companhia, os colaboradores tendem a se sentir profissionalmente mais motivados. Outros benefícios apontados foram o aumento do engajamento da equipe (43%) e da produtividade (40%).

Para minimizar as ausências durante os Jogos Olímpicos e manter a equipe engajada e motivada, os especialistas da Robert Half sugerem as práticas abaixo:

* Horários flexíveis: avaliar a possibilidade de permitir horários flexíveis para que os colaboradores tenham a oportunidade de acompanhar as disputas mais relevantes.

* Olho na tela: disponibilizar televisores ou telões para que os momentos decisivos possam ser acompanhados nas dependências da companhia.

* Decoração especial: ambientar os departamentos com as cores do país faz com os colaboradores entrem no "clima" do evento.

* Disputas internas: criar campanhas internas que estimulem a produtividade com base nas competições esportivas.

* Intercâmbio: em multinacionais, estimular brincadeiras saudáveis entre torcidas de escritórios de diferentes países, como a postagem nas redes sociais de fotos dos grupos vestindo a camiseta dos times que representam; e

* Dress code: permitir o uso de camisetas temáticas, desde que não interfira em reuniões ou outros compromissos.


FONTE: Perspectiva Comunicação

 

Palavras-chave: | Robert Half | Lucas Nogueira | Olimpíadas | produtividade |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (0)
Ainda não há comentários.

Seja o primeiro, clique no ícone disponível logo acima e faça seus comentários.
PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



RH.com.br no Twitter


PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.