O site de referência sobre Gestão de Pessoas.
Conheça os cursos online e os eventos virtuais do RH.com.br
Pesquisar
« Pesquisa Avançada »






24/03/2015
RH » Criatividade » Artigo Enviar Comentar Compartilhar Imprimir

Frases assassinas que bloqueiam a criatividade

Por Ernesto Artur Berg para o RH.com.br

Na Era da Competitividade, os dois grandes diferenciais, - aqueles que realmente distinguem uma empresa da outra e as tornam vencedoras -, são a criatividade e a inovação.

Einstein afirmava: "Insanidade é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes". Se quisermos algo diferente teremos que fazer algo diferente. A Era da Competitividade exige pessoas que pensem diferente, que tenham ideias criativas e inovadoras.

Você do tipo ACMu ou ACMo?

Sabe o significado da palavra ACMu? É um acrônimo de Alto Coeficiente de Mumificação.

Somos levados a isso pelas rotinas do dia a dia, repetindo sempre as mesmas coisas. Aliás, grande parte dos ambientes empresariais é inibidora da criatividade. São autênticas usinas de mumificação, cujas frases prediletas são: "Você é pago para fazer, não para pensar"; "Quem pensa aqui sou eu, você só tem que executar". Muitas empresas e gestores ainda classificam as pessoas como "mão de obra", não como recurso ou talento humano. Isto é, consideram o ser humano como sendo mais uma "mão" na obra. E onde fica o cérebro nisso tudo? É bom lembrar que a mão executa, mas é o cérebro que pensa e cria.

Cabe aqui uma pergunta: "Quer saber se o ambiente em que você trabalha tem gente inovativa e criativa?" Resposta: "Preste atenção no que elas falam".

Veja "25 frases assassinas" que indicam ambientes inibidores da criatividade:

- "Sempre fizemos desse jeito, por que mudar?".
- "Não pode".
- "É uma boa ideia, mas inaplicável".
- "Já tentamos isso antes e não deu certo".
- "Nunca tentamos isso antes, por que agora?".
- "Não é desse jeito que trabalhamos por aqui".
- "O chefe não vai gostar".
- "É contra o regulamento".
- "É uma ideia sem pé nem cabeça".
- "Vamos ser práticos".
- "É proibido!".
- "Você não está sendo pago pra isso. Atenha-se às suas funções".
- "É uma bela teoria. Quero ver na prática".
- "Lá vem ele outra vez com suas ideias".
- "Tem que dar certo logo da primeira vez".
- "Se não der certo, você vai ter que se explicar".
- "O concorrente já está fazendo isso".
- "Isso não tem lógica".
- "Não pedi sua opinião".
- "De onde você tirou essa ideia maluca?".
- "Suas ideias não se aplicam na nossa empresa".
- "Esse problema não tem solução".
- "Duvido que dê certo".
- "Estou fora. Já tenho muito que fazer".
- "Não vale a pena fazer isso agora".

Frases como essas identificam dinossauros ocultos nas organizações que em nada contribuem para a solução criativa de problemas, ou identificação de novas oportunidades de negócios.

E o tipo ACMo?

ACMo é o acrônimo de Alto Coeficiente de Motivação. São pessoas motivadas por desafios e em atingir objetivos relevantes. Nem toda pessoa motivada é criativa, porque ela pode estar extremamente motivada em realizar determinadas tarefas e atingir objetivos, mas não interessada em ser muito criativa. Porém, toda pessoa criativa é, necessariamente motivada, pois persegue e se envolve constantemente com novos parâmetros, novas possibilidades, novos horizontes, e isso a excita, provoca sua curiosidade e testa seus limites. C. K. Prahalad, catedrático da Universidade de Michigan, disse que "devemos dedicar mais energia criando o futuro do que preservando o passado". É o que o ACMo faz o tempo todo.

Peter Drucker, o papa da administração moderna que revolucionou toda a teoria e prática da administração no século 20 -, foi enfático ao afirmar que "a empresa possui duas, e apenas duas funções básicas: marketing e inovação. Marketing e inovação produzem resultados, todo o resto são custos". É um conceito arrojado sobre organização, mas deixa clara a importância que ele atribuía à inovação.

Texto extraído e condensado do livro "Manual de Criatividade Aplicada", de Ernesto Artur Berg, Juruá Editora.

 

Palavras-chave: | criativo | aprendizagem | crescimento profissional |

  • O que você achou? Avalie:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Enviar Comentar Compartilhar Imprimir
CONTEÚDO RELACIONADO
COMENTÁRIOS (1)
Juarez Caribé da Cunha em 14/04/2015:
Bom dia, Excelente o seu artigo, mas no quesito Segurança do Trabalho, um colaborador ACMo, estando muito motivado,ele não fica mais vunerável ao acidente? Como eliminar o risco sem perder a motivação? Mesmo motivado,que ele não esqueça de estar atento para o risco no ambiente de trabalho. SDS Juarez

PUBLICIDADE
Produtos RH.com.br

+ lidas
+ comentadas
+ enviadas
+ recentes
Produtos RH.com.br

Curso Online do RH.com.br

Curso Online do RH.com.br



PUBLICIDADE
Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site RH.com.br. Confira o nosso Termo de Responsabilidade.
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida qualquer reprodução.